• Ínicio
  • Ações de incentivo ao aleitamento materno se multiplicam em agosto

Ações de incentivo ao aleitamento materno se multiplicam em agosto


Ações de incentivo ao aleitamento materno se multiplicam em agosto

Desde 1992, a Semana Mundial de Aleitamento Materno é comemorada entre os dias 1 a 7 de agosto. A intenção dessa ação é dar visibilidade e promover informação acerca da importância da amamentação para as crianças e também para as mães. No Brasil, por meio da Lei Nº 13.435, de 12 de abril de 2017, foi instituído que agosto será também o Mês do Aleitamento Materno. Eis o Agosto Dourado.

Amamentar é natural, mas não é algo fácil. Exige dedicação e parcerias. Para especialistas, no entanto, não existe alimento melhor para o bebê. “O leite humano é o único alimento capaz de oferecer todos os nutrientes na quantidade exata de que a criança precisa. Ele garante o melhor crescimento e desenvolvimento, não existindo nenhum outro alimento capaz de substituí-lo”, afirma a secretária de Políticas para as Mulheres, Andreza Colatto.

Encontro sobre amamentação promovido pela Presidência da República.

Os benefícios do leite materno estão sendo ressaltados em diversas ações realizadas durante a Semana do Bebê, como parte da Semana Mundial do Aleitamento Materno. A importância do aleitamento e de mais incentivos à amamentação foi um dos temas de encontro promovido pela SPM, que é vinculada ao Ministério de Direitos Humanos, recentemente, na Presidência da República. O público interno pôde acompanhar uma palestra sobre os benefícios do aleitamento materno e conhecer o espaço exclusivo criado no Palácio do Planalto para que as mães possam amamentar seus bebês.

Ao longo de todo o mês, o Ministério da Saúde pretende conscientizar os empregadores sobre a importância da implementação de salas de apoio à amamentação como essas nos diferentes ambientes de trabalho. Nesses locais, a mulher pode retirar o leite e guardá-lo para, depois, oferecê-lo ao filho quando retornar para sua casa. Atualmente, há 216 salas dessas certificadas pelo Ministério da Saúde.

Apesar do Brasil ser referência mundial quando se trata de bancos de leite e amamentação, os índices do país ficaram estagnados nos últimos anos. Isso é preocupante porque a amamentação pode reduzir em 13% o risco de mortalidade infantil. Há vários estudos que mostram que uma criança, quando é amamentada, tem melhor desenvolvimento e maior escolaridade e renda na vida adulta. Os benefícios do aleitamento perduram por toda a vida”, disse Andreza.

A recomendação da Organização Mundial de Saúde, do Ministério da Saúde e da Sociedade Brasileira de Pediatria é a seguinte:  aleitamento materno desde a sala de parto, exclusivo e em livre-demanda até o 6º mês, estendido até 2 anos ou mais.

Com informações de MDH e Ministério da Saúde

Compartilhe nas redes sociais