• Ínicio
  • TRT de São Paulo elege a primeira mulher negra para presidente

TRT de São Paulo elege a primeira mulher negra para presidente


TRT de São Paulo elege a primeira mulher negra para presidente

Rilma Aparecida Hemetério ao assumir, como juíza, a 16ª Vara do Trabalho, em São Paulo, em 1981, ouviu por diversas vezes “a menina do balcão está sentada na mesa de audiência?” Tinha 28 anos e, apenas cinco anos antes, era mesmo Rilma quem recebia e arquivava os processos da vara em que se tornaria juíza.

No próximo dia 1º de outubro ela tomará posse como a primeira mulher negra a presidir o maior Tribunal Regional dA desembargadora Rilma Aparecida Hemetério em seu gabinete, sentada, fotografada enquanto trabalhao Trabalho (TRT) do país. Ao ser eleita em primeiro turno, com 46 de 87 votos, em 1º de agosto, Rilma pediu unidade. “Precisamos nos unir, porque inimigos já temos, e muitos”, afirmou

Filha de uma dona de casa e um artesão proprietário de uma pequena sapataria em Caxambu, no sul de Minas Gerais, Rilma veio a São Paulo pela primeira vez em 1967. Ao passar na frente da Faculdade de Direito da USP (Universidade de São Paulo), no largo São Francisco, disse à mãe que estudaria lá. “Você tem mania de grandeza”, ouviu

Entrou na USP em 1971. Foi promotora no Ministério Público de Minas Gerais e iniciou a carreira na Justiça do Trabalho em 1976, como atendente judiciária. Foi aprovada na magistratura em 1981.

“Aprendi comigo mesma que você é quem diz o que você é. Tudo o que fiz, fiz uma única vez: vestibular, concurso para o Ministério Público e para a Justiça do Trabalho. Embora isso possa parecer arrogância, não é. Se você quer alguma coisa, tem de focar”, disse.

A nova presidente do TRT declarou ainda que não há diferença entre trabalho de homens e mulheres – existe, segundo ela, trabalho competente e reconhecido. “Tanto que hoje, a ‘menina do balcão’, como eu era chamada, vai dirigir o maior tribunal trabalhista do país”, lembrou.

Jucirema Maria Godinho Gonçalves será a vice-presidente administrativa, enquanto Rafael Edson Pugliese Ribeiro assumirá a vice judicial. Luiz Antonio Moreira Vidigal foi eleito corregedor regional. A nova direção estará à frente do TRT até 2020.

Com informações de Folha de S. Paulo e Rede Brasil Atual.

Compartilhe nas redes sociais