• Ínicio
  • A participação histórica das mulheres nas eleições americanas de 2018

A participação histórica das mulheres nas eleições americanas de 2018


A participação histórica das mulheres nas eleições americanas de 2018

Natural do Ohio, Ayanna Pressley vive em Massachusetts desde 1998 e foi lá que ela surpreendeu a todos com sua vitória nas primárias do Partido Democrata. Ela está muito próxima de se tornar a primeira mulher negra a ocupar um lugar no Congresso.

Ayanna Pressley

Ayanna derrotou o atual congressista, Michael Capuano, ocupante da cadeira há vinte anos, e recebeu já os parabéns da líder democrata na Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi.

Outra mulher que também está fazendo história é a advogada Stacey Abrams. Ela venceu as primárias do Partido Democrata e será a primeira mulher negra candidata ao governo do estado da Georgia, um estado tradicionalmente conservador do Sul dos Estados Unidos. “Estamos escrevendo um novo capítulo na história da Georgia, no qual ninguém é invisível, ninguém é inaudível e ninguém é sem inspiração”, afirmou a eleitores.

Esta noite é apenas o começo. O caminho para (as eleições de) novembro vai ser duro e longo. Mas vamos dar o próximo passo juntos”, disse a candidata democrata, por meio das redes sociais, depois de ser declarada vencedora da disputa dentro do partido.

Participação histórica e diversidade

Stacey Abrams

O número de mulheres candidatas nas primárias das eleições deste ano nos Estados Unidos é o maior da história. Em 6 de novembro, 77 mulheres irão concorrer ao governo de seus estados – mais que o dobro do recorde anterior, de 1994, quando 34 mulheres entraram nas disputas estaduais.

Atualmente as mulheres representam 20% do Congresso norte-americano, com 23 senadoras e 84 representantes. Neste ano, segundo o Centro para Mulheres Americanas na Política (livre tradução para Center for American Women Politics, CAWP, sigla em inglês), 172 mulheres entrarão na disputa para a Câmara de Representantes e 57 para o Senado.

Ainda segundo o CAWP, outra característica das eleições deste ano é a maior diversidade de perfil das candidatas. Não só há mais mulheres, como também mais representantes negras e da comunidade imigrante.

Imagem relacionada
Kelda Roys

O centro destaca que currículos diversos estão no páreo. Entre elas, veteranas de carreiras públicas como Mikie Sherrill, que está na disputa entre os democratas em Nova Jersey. Ela foi piloto de helicópteros da Marinha antes de se tornar promotora federal.

Ao menos duas das candidatas ao governo, Krish Vignarajah, em Maryland, e Kelda Roys, em Wisconsin já participaram de campanhas em defesa da amamentação e apareceram amamentando seus filhos publicamente, em debates políticos.

Resultado de imagem para cynthia nixon
Cynthia Nixon

Outro nome que chama atenção é o da atriz é ativista nova-iorquina Cynthia Nixon, uma das protagonistas da série de grande sucesso Sex And The City. Ela vem crescendo nas pesquisas de intenção de voto na disputa primária das eleições ao governo do Estado de Nova York. Caso vença, Nixon será a primeira governante mulher e abertamente gay do Estado.

A imprensa norte-americana aponta que a vitória de Donald Trump motivou mais mulheres a participarem das eleições deste ano. Analistas avaliam que um sentimento de frustração após a derrota de Hillary Clinton, em 2016, acabou motivando a participação feminina.

Com informações de EBC e UOL

Compartilhe nas redes sociais