• Ínicio
  • Simone Biles: A menina que conquistou o mundo com saltos e piruetas

Simone Biles: A menina que conquistou o mundo com saltos e piruetas


Simone Biles: A menina que conquistou o mundo com saltos e piruetas

O recorde de títulos mundiais em ginástica artística é de uma mulher. Ninguém, homem ou mulher, tem mais títulos mundiais do que Simone Biles. A ginasta liderou a equipe dos Estados Unidos rumo ao ouro na disputa por equipes no campeonato mundial disputado em Doha, no Catar, entre outubro e novembro deste ano, e conquistou o 11° título mundial de sua carreira. Além disso, pela primeira vez a ginasta marcou presença em todos os pódios femininos do Mundial, fechando a competição com quatro ouros, uma prata e um bronze.

“Ela combina flexibilidade com força, o que é muito difícil”, diz Ordóñez
Biles em ação

Estou definitivamente muito feliz, especialmente por ganhar uma medalha em todas as provas. Não importa o tipo da medalha. Estou muito orgulhosa. É recompensador, porque eu trabalhei muito duro e me dediquei bastante nesse esporte, então não poderia estar mais feliz. Gostaria que algumas performances fossem melhores, mas estou muito orgulhosa do resultado”, comemorou a ginasta.

Desde 1987 nenhuma ginasta conseguia uma medalha em todas as provas do Mundial. A última a conquistar esse feito foi a soviética Yelena Shushunova. Um fato torna ainda mais impressionante o seu feito após dois anos de ausência: Biles competiu com dores causadas por uma pedra nos rins. No fim de semana antes da competição a ginasta foi internada e descobriu o problema. Como não poderia retirar o cálculo renal a tempo, Biles optou por enfrentar as dores e ainda brincou com a situação ao apelidar a pedra de “Doha Pearl” (a pérola de Doha, em inglês).

Tive de ir ao hospital porque estava com muitas dores do meu lado direito. Inicialmente pensamos que podia ser uma apendicite, mas após exames descobrimos uma pedra nos rins”, contou a atleta.

Infância difícil pode ter definido destino de Biles

Simone com os avós, que a adotaram

A ginasta norte-americana nascida em Columbos, Ohio, tinha apenas três anos quando o serviço sociai dos EUA teve que intervir para resgatar os quatro filhos de Shanon Biles, dependente de drogas e álcool. As autoridades retiraram dela a custódia das crianças. O pai de Shanon, Ronald Biles, e sua segunda mulher, Nellie, ficaram com as meninas menores, Simone e Adria. Os irmãos mais velhos foram morar com a irmã de Ronald. Simone chama Ronald de pai e Nellie de mãe.

Quando era mais nova me perguntava o que teria sido da minha vida se nada disso tivesse acontecido. Às vezes ainda me pergunto se minha mãe biológica se arrepende e se queria ter feito as coisas de forma diferente, mas evito me prender a essas perguntas porque não sou eu quem tem que respondê-las. O que sei é que, estando com meus avós, acabei descobrindo a ginástica”, disse a veículos americanos.

Biles, com seus 21 anos, 1,45 metro e 47 quilos, revolucionou o mundo da ginástica artística. Nas Olimpíadas do Rio, em 2016, a americana conseguiu impressionantes quatro medalhas de ouro e foi uma das principais atletas de todos os Jogos Olímpicos. Nellie lembra que Simone sempre foi uma menina “que gostava de pular e dar piruetas” e conta que o encontro da ginasta se deu por acaso.

Uma excursão de escola teve que ser cancelada devido ao mau tempo e o colégio decidiu, então, fazer um passeio em um centro de ginástica artística. Foi onde ela se encontrou”, revela a avó da ginasta.

Amor pela ginástica

Aimee Borman y Simone Biles
Simone e Aimee Borman, sua técnica

Durante o passeio, Simone, com apenas seis anos, mostrou espontaneamente alguns movimentos e os instrutores ficaram tão impressionados com a menina que “ela voltou para a casa com um bilhete para os pais que dizia: Vocês já pensaram em colocar sua filha na aula de ginástica?” Dois anos depois, ela foi descoberta por Aimee Borman, sua técnica até hoje.

“Um dia ela decidiu que seria uma grande ginasta e desde então fez tudo para atingir esse objetivo”, disse Borman à revista Time.

Em 2012, Simone decidiu que em vez de fazer o ensino médio tradicional estudaria em casa, o que permitiu que aumentasse sua carga de treinos de 20 para 32 horas semanais. Um ano depois, ganhou seu primeiro título individual geral no mundial.

Há um salto, que Biles mostrou pela primeira vez em 2013, que virou sua marca pessoal e leva seu nome (o código de pontuação da ginástica homenageia atletas criativos dando seus nomes aos movimentos que inventaram).

O ‘Biles’ é um mortal duplo esticado. Mas antes de terminar o segundo mortal ela faz um giro em outro eixo, para o lado, como se estivéssemos de pé e girássemos para a direita ou para a esquerda. Então ela combina dois eixos de rotação e acrescenta mais dificuldade com a rotação, que faz com que ela aterrisse sem ver o solo”, explica Ana Ordóñez, treinadora de ginástica no clube FlipFlap em Zaragoza, na Espanha.

 

Compartilhe nas redes sociais