• Ínicio
  • O primeiro pé feminino a ser imortalizado no Maracanã é o da Marta

O primeiro pé feminino a ser imortalizado no Maracanã é o da Marta


O primeiro pé feminino a ser imortalizado no Maracanã é o da Marta

Ela não pára. A jogadora de futebol Marta continua mostrando que é uma das maiores atletas da história do esporte mundial. A camisa 10 da seleção se tornou agora a primeira mulher homenageada na calçada da fama do Maracanã. Marta terá também um espaço exclusivo com peças ligadas à sua história, como chuteiras, camisas e troféus.

Eleita seis vezes a melhor do mundo, a jogadora e mulher transformadora deixou a marca de seus pés ao lado de nomes como Pelé, Zagallo e Zico. A atleta aproveitou o momento para ressaltar a importância do planejamento do esporte como política de desenvolvimento social. Aliás, este é um trabalho que vem sendo desenvolvido pela própria Marta, recentemente nomeada embaixadora da Boa Vontade pela ONU Mulheres.

Esporte é cultura, te ensina valores e uma ferramenta fundamental para nosso dia a dia. Não sei se daqui a cinco anos vou estar jogando, mas me vejo envolvida no futebol de alguma maneira. Meu pensamento é ajudar”, afirmou a jogadora.

Com 32 anos, o que para muitos é o começo do fim da carreira de futebol, Marta não tem intenção de pendurar as chuteiras tão cedo. Ela disputará, em 2019, a Copa do Mundo sediada na França. Detalhe, ela não possui ainda este título na galeria. A seleção está no mesmo grupo da Austrália, Itália e Jamaica.

Item perdido

Marta já havia tido seus pés eternizados, porém não foi dada à placa de gesso a atenção necessária pelo consórcio responsável pela administração do estádio Mário Filho após o Pan do Rio de Janeiro. Os administradores simplesmente não sabem onde foi parar a placa de gesso gravada em 2007 pela jogadora da seleção brasileira.

Isso diz muito sobre a atenção que o futebol feminino recebe no Brasil. No país do futebol faltam investimentos e espaço para que a modalidade se desenvolva. Além do machismo evidente, existe a desestruturação completa e a falta de condições devidas para que as atletas exerçam sua profissão.

Com informações de Hypeness.

Compartilhe nas redes sociais